Hipnose é usada em tratamentos de saúde com eficácia

Por Paulo Giraldes 24/04/2017 - 18:30 hs

Quem já não sentiu ansiedade diante de uma entrevista de emprego? E antes de uma prova, na escola ou no vestibular? E na cadeira do dentista? Mas por que as pessoas se sentem assim, afinal? Biologicamente falando, a ansiedade é uma característica do ser humano despertada quando ele se vê em perigo ou com medo de uma situação desconhecida. Ela desencadeia sensações físicas como elevação do batimento cardíaco, aumento da transpiração, dor no estômago, etc. 

Por outro lado, como geralmente ela é associada a uma sensação ruim, a ansiedade pode ser também o gatilho para alterações em quadros psíquicos como a síndrome do pânico e outras fobias, que interferem na rotina das pessoas e, consequentemente, na sua qualidade de vida. Por isso, controlá-la e até mesmo evitá-la é essencial. Se seguirmos um pouco adiante e ultrapassarmos as barreiras dos métodos mais tradicionais, iremos nos deparar com uma técnica que alcança resultados muito significativos nesse sentido: a Hipnose.

"A hipnose é um estado onde, através da hiper atenção, aceitamos uma sugestão dada pelo hipnólogo ou por nós mesmos, onde nossa mente não questiona o que é dito"

Desde a sua origem no século XVIII, com o médico Franz Anton Mesmer, a hipnose vem cercada de mitos. Hoje, porém, já é reconhecida pela sua eficiência e aplicada nos mais diversos tratamentos de saúde. É importante salientar que a hipnose não cura nada, logo, não elimina a investigação da causa, mas tem uma ação muito eficaz sobre os efeitos, como no caso da dor, do medo e da própria ansiedade. É por isso que ela já vem sendo utilizada como substituta de anestesias químicas e auxiliar no tratamento de fobias nas terapias psicanalíticas. Nos casos de tratamentos da dor, onde os analgésicos mais potentes atacam as funções renais, a aplicação da hipnose é muito bem vinda. 

E como a hipnose atua? Diferentemente do que muita gente pensa, a hipnose é um estado alterado de hiper atenção. Quando lemos um bom livro ou assistimos a um programa de televisão de que gostamos, ficamos neste estado, onde, por exemplo, deixamos de ouvir alguém nos chamar. Estes representam uma espécie de estado hipnótico que vivenciamos diariamente. A hipnose é um estado onde, através desta hiper atenção, aceitamos uma sugestão dada pelo hipnólogo (aquele que hipnotiza) ou por nós mesmos (autohipnose), onde nossa mente não questiona o que é dito.

A hipnose na odontologia 

A hipnose também vem ganhando cada vez mais espaço nos consultórios dos dentistas. Ela é usada no atendimento de pacientes que tem medo da anestesia, ou mesmo alergia a ela, ou em pacientes que se incomodam com o barulho do motor. Ela conta ainda com a vantagem de sairmos do consultório sem aquele conhecido incomodo de boca anestesiada, que nos faz ter dificuldade para falar ou comer, sem morder a bochecha. E tudo isso sem efeitos colaterais químicos. Além dos casos citados anteriormente, sua aplicação está cada vez mais ampla, tratando adolescentes com desvio de atenção e pessoas com doenças degenerativas. Por isso, através de suas qualidades e eficiência, a hipnose vem derrubando mitos e sendo cada vez mais procurada por profissionais da saúde.